O que é o “travesseiro da Nasa” ou “travesseiro viscoelástico”?

Podemos responder à pergunta do título com o seguinte resumo: o “travesseiro da Nasa” é um travesseiro confeccionado em espuma viscoelástica, um material que teve origem em pesquisas encomendadas pela Agência Espacial Americana com a finalidade de revestir internamente naves espaciais. Embora o material tenha sido rejeitado pela Nasa devido ao seu forte cheiro, acabou sendo aprimorado e empregado na produção de outros itens nos quais a sua propriedade de não se deformar faz toda a diferença — como é o caso dos travesseiros. Se você quer entender melhor essa história, continue lendo o artigo e confira a versão longa dela.

Contorno de uma mão na espuma viscoelástica

A história do “travesseiro da Nasa”

A história começa na década de 60, em plena corrida espacial, mais precisamente no ano de 1966, quando a Nasa encomendou o desenvolvimento de um material que servisse para revestir o interior de naves especiais e que tivesse a capacidade de absorver impactos.

A solicitação foi atendida com a criação da espuma viscoelástica, que, como o próprio nome já indica, trata-se de uma espuma, mas possui a propriedade de retornar à forma original após ser submetida a uma pressão. Seria a solução perfeita se não fosse por um detalhe: o cheiro forte da espuma tornava inviável sua utilização. O material seria deixado de lado, mas então entrou em cena a persistência de Charles A. Yost, um dos engenheiros participantes do projeto.

Decidido a transformar a invenção em algo utilizável, Yost dedicou-se ao aperfeiçoamento da espuma viscoelástica e investiu em um negócio de produção e comercialização do material, que aos poucos ia sendo aplicado na fabricação de itens como próteses ortopédicas, colchões e cadeiras de rodas. Mais tarde, na década de 80, a tecnologia já era mais difundida, o que resultou no barateamento do produto final. Não demorou para a espuma viscoelástica atrair o interesse de fabricantes de colchões e travesseiros. Surgia então o “travesseiro da Nasa”, também chamado de “travesseiro viscoelástico”.

Os benefícios do travesseiro viscoelástico

O travesseiro confeccionado em espuma viscoelástica oferece a vantagem de não deformar com o uso contínuo, diferente do que costuma acontecer com os travesseiros de espuma comum. Como a posição em que dormimos costuma se repetir noite após noite, um travesseiro de material comum logo cede sob o peso da cabeça justamente nas áreas em que costumamos apoiá-la. Como consequência, perdemos a sustentação necessária para que haja um repouso adequado dos músculos da região do pescoço e dos ombros, o que se reflete em dores musculares e até dores de cabeça. Por esse motivo, os travesseiros que deformam precisam ser trocados logo quando começam a apresentar sinais desse tipo de desgaste.

Mulher com mão no pescoço e expressão facial de dor

Note que o problema não é dormir em travesseiros que não sejam confeccionados em espuma viscoelástica, mas continuar utilizando-os mesmo após terem perdido sua eficácia na função de preencher o espaço formado entre sua cabeça e seu ombro (se você dorme de lado) ou preencher o arco que se forma entre seu pescoço e o colchão (se você dorme de barriga para cima), preservando assim a curvatura natural da coluna. Se o seu tipo de travesseiro favorito é aquele recheado com cubinhos de espuma, com fibra sintética ou até mesmo um travesseiro de plumas bem fofinho, não precisa abandonar essas preferências. Desde que sejam trocados assim que necessário, não há problema algum em continuar com eles.

Homem deitado em travesseiro

Entretanto, se você não se importa tanto com a textura e deseja investir em um travesseiro mais durável, considere seriamente a possibilidade de comprar travesseiro viscoelástico. Devido à propriedade que caracteriza a espuma viscoelástica — retornar à forma original após ser submetida a uma determinada pressão –, ela é ideal para a confecção de travesseiros, já que é capaz de suportar o peso da cabeça sem deformar com meses de uso, além de ceder nas áreas em que recebe maior pressão e menos em outros pontos, proporcionando um equilíbrio mais estável à coluna e contribuindo para uma noite de sono muito melhor.

Hoje em dia, diversas marcas nacionais e estrangeiras dominam a tecnologia de produção desse material, e é possível encontrar com facilidade, tanto em estabelecimentos físicos quanto em lojas virtuais, travesseiros da Nasa com preços variados. O que torna um travesseiro viscoelástico mais caro ou mais barato são fatores como o tipo de revestimento utilizado, a aplicação de tratamento antiácaros e outros detalhes desse tipo. Faça uma pesquisa e escolha o seu.

O que é o “travesseiro da Nasa” ou “travesseiro viscoelástico”?
4 (80%) 2 votos